- São Paulo / BR
- São Paulo / BR

Social Emotional Learning + Tecnologia: o futuro é agora

Social Emotional Learning + Tecnologia: o futuro é agora

por Alexandre Santille

texto   00 min  29 SET
Social Emotional Learning + Tecnologia: o futuro é agora

Um estudo, publicado recentemente pelo World Economic Forum, mostra que a Educação atual demanda, além do aprendizado acadêmico e técnico, a promoção do aprendizado social e emocional (denominado SEL - social emotional learning), que são as habilidades humanas determinantes e indispensáveis, no presente e no futuro.

De acordo com especialistas, muitos profissionais têm lacunas quando chegam ao mercado de trabalho, entre elas a falta de habilidade social para desenvolver trabalhos colaborativos, se comunicar e resolver problemas. Porém, segundo eles, essas habilidades podem ser desenvolvidas através do SEL usando tecnologia como base desse aprendizado.

O relatório identifica algumas tendências de tecnologias que podem ser usadas para esse fim: realidade virtual, wearable devices, machine learning, computação cognitiva entre outros – que também oferecem a oportunidade para criação de novas estratégias de aprendizagem e algumas delas, inclusive, já estão sendo utilizadas no Brasil.


Sobre o futuro próximo, um dado interessante: 65% das crianças que estão entrando na escola primária vão trabalhar em empregos que ainda não existem, mas que vão exigir criatividade, iniciativa e adaptabilidade. E são exatamente essas habilidades que as empresas hoje em dia exigem dos seus profissionais e buscam no mercado. Coincidência?


Pensando nessas questões, a Affero Lab realizou uma pesquisa para saber quais as habilidades mais relevantes e mais difíceis de serem encontradas entre os profissionais brasileiros nos dias de hoje. Participaram profissionais de diferentes organizações e buscou-se compreender melhor o cenário atual brasileiro diante desse contexto de aparente escassez mundial de profissionais com habilidades críticas no mercado.

A forma de se relacionar, aprender, trabalhar e consumir vem sendo radicalmente modificada pelas novas tecnologias e modelos de negócios inovadores. Esse cenário, por si só, já representa um desafio enorme às organizações e para indivíduos que precisam adaptar-se constantemente, encontrando maneiras de se reinventar, para sobreviver em meio às constantes rupturas na dinâmica do mercado de trabalho global.

O que quero dizer é que o futuro é agora, já existem inúmeras formas de se preparar e quanto mais cedo as organizações conseguirem identificar essas lacunas de habilidades críticas e desenvolverem estratégias contínuas de desenvolvimento e aprendizagem, mais elas poderão contar com profissionais e líderes bem preparados. Independentemente de ser em estágio primário ou mais avançado de escolaridade, a tecnologia é facilitadora do processo de aprendizado, e permite que ele seja personalizado e customizado de acordo com cada necessidade, por um custo mais atrativo, proporcionando excelentes resultados.

por Alexandre Santille